sexta-feira, 9 de outubro de 2015

COMO TER MAIS SEGURANÇA ?



A Polícia Militar do Estado de São Paulo, voltada à defesa da cidadania, na busca da garantia dos direitos individuais e coletivos dos cidadãos, dentro da chamada prevenção primária, com a elaboração de materiais de divulgação e ciclos de palestras, indica condutas e medidas que cada cidadão deve adotar para elevar seu nível de proteção. Todas as dicas aqui contidas devem ser objetos de conversa e reflexão. Estar seguro também depende do conhecimento, de predisposição para adotar condutas adequadas de pró-atividade. Condomínio é definido como domínio exercido juntamente com outrem, uma co-propriedade, podendo ser também um conjunto residencial composto de edifícios e/ou casas, geralmente cercado, com acesso controlado, e cujos moradores dividem equipamentos comunitários, portanto, todos têm o dever de mantê-lo e protegê-lo a fim de preservar sua tranquilidade, na busca de melhor qualidade de vida. Para que haja uma segurança mais eficiente é necessário que suas instalações físicas estejam cercadas e o máximo possível fechadas. Diante disto os condomínios devem possuir:
  • Barreiras físicas: São obstáculos naturais ou artificiais (estruturais) que servem para impedir ou dificultar o acesso de pessoas estranhas em locais delimitados ou proibidos, e controlar os permitidos em um condomínio, além de proteger os seus pontos estratégicos e vulneráveis. Dentre os mais usuais podemos citar: as barreiras perimetrais junto às divisas tais como vegetação, muros, cercas, concertinas, alambrados e ofendículos; cancelas, guaritas nas portarias, portões com eclusas, interfone, espelhos refletores (côncavos ou convexos), grades, portas internas ou intermediárias, passador de objetos, etc.
  • Iluminação: É fundamental que as dependências do condomínio sejam bem iluminadas, a fim de desestimular a ação de infratores da lei. Aconselha-se utilizar luminárias e holofotes, podendo ser complementado por sensores de presença.
  • Sinalização: A sinalização pode ser visual, através de placas, sinais luminosos ou sonoros, ou ainda se utilizando dispositivos sonoros eletrônicos ou apitos, ou mesmo códigos e senhas convencionadas entre os condôminos e funcionários.
  • Sistemas eletrônicos: O sistema de segurança ideal é aquele que promove a interação do homem com os equipamentos eletrônicos, a fim de que a coligação entre ambos possa promover um nível de proteção satisfatória. Atualmente no mercado, existem os mais variados números e tipos de equipamentos eletrônicos de segurança à disposição dos usuários, portanto, deve-se adquirir aqueles que mais se adaptem às necessidades do condomínio. Os sistemas mais utilizados em condomínios são: sistemas de alarme, cercas eletrificadas, CFTV (circuito fechado de tv) e controle de acesso informatizado.

Dicas de Segurança para os Síndicos.
Junto aos condôminos:
  • Desenvolva com o conselho de condôminos normas firmes e transparentes sobre a segurança do condomínio, discriminando, inclusive, punições;
  • Em reuniões condominiais aborde assuntos relativos à segurança de seu condomínio;
  • Forme um conselho ou comissão específicos para tratar do assunto segurança;
  • Incentive a participação de todos os moradores e funcionários quando for tratado o tema segurança.

Junto aos funcionários:
  • Na contratação de novos funcionários entreviste um de cada vez, de preferência na portaria;
  • Obtenha o máximo de informações possíveis sobre o candidato e solicite atestado de antecedentes e de referência pessoal de todos os funcionários a serem contratados;
  • Contrate funcionários que já possuam cursos de formação e treinamento para poderem trabalhar no condomínio;
  • Promova e invista na reciclagem dos funcionários através de cursos especializados;
  • Fiscalize a rotina de trabalho de funcionários e zeladores, procurando acompanhar de perto suas condutas assim como não atribuir missão que não lhes seja pertinente;
  • Apresente e informe aos moradores quando da substituição ou admissão de um funcionário, porém é aconselhável que se evite rotatividade;
  • O novo empregado ou o substituto não deve ficar sozinho até conhecer todos os moradores e a rotina de trabalho do prédio;
  • Oriente sempre os funcionários, principalmente os porteiros e garagistas, para que não saiam de seus postos de trabalho, evitando deslocá-los para prestar serviços particulares.

Com relação à segurança do condomínio:
  • Cadastre e mantenha atualizada a relação de todos os moradores do condomínio, onde deverá constar desde a placa de seu veículo até o nome de parentes próximos para contato em caso de emergência;
  • Conheça a legislação sobre o condomínio e sua administração;
  • Conheça profundamente o estatuto e as normas de seu condomínio;
  • Procure acompanhar o andamento das obras realizadas no condomínio;
  • Mantenha suficientemente iluminadas as entradas do condomínio, evitando o uso de obras de arte, de decoração e de jardinagem que obstruam a ampla visão do local ou criem pontos de penumbra à distância;
  • Atente para a segurança periférica do condomínio, tais como muros, grades, cercas e alambrados, bem como de vias públicas de acesso ao condomínio, devendo existir regulamentação para estacionamento de veículos, sinalização, iluminação, entre outros;
  • Mantenha os equipamentos de segurança e de comunicação sempre em perfeito estado de funcionamento;
  • Mantenha sempre na portaria livros de registro para controle do serviço, de entrada e saída de pessoas, veículos e materiais;
  • Faça a manutenção periódica das portas de entrada e portões de garagem que devem, em caso de quebra, ser imediatamente consertados;
  • Instale dispositivos eletrônicos de segurança, se possível, com monitoramento por empresas especializadas e idôneas;
  • Caso for terceirizar os serviços como portaria, limpeza, manutenção e segurança procure empresas idôneas e legalmente constituídas no mercado;
  • Atualize-se no que diz respeito a assuntos relativos à segurança, procurando o que há de mais moderno no mercado para possível implantação no condomínio;
  • Contrate seguradora idônea para que se possa fazer o seguro da edificação com apólices que, de preferência, garantam cobertura completa de sinistros, pois este é um dos itens em que o síndico é responsabilizado, civil e criminalmente, em caso de algum problema onde não se tenha uma cobertura ideal.

Com relação à segurança por parte dos condôminos:
  • Participe ativamente das reuniões referentes à segurança, inclusive fazendo parte das comissões ou conselhos de segurança do seu condomínio;
  • Obedeça às normas de segurança preconizadas para o seu condomínio;
  • Traga sempre informações sobre assuntos relativos à segurança, pois suas sugestões são valiosas para o aperfeiçoamento e atualização da proteção de todos;
  • Colabore com o síndico e demais moradores na formação de medidas que garanta a eficácia de todo o sistema de controle a ser implantado;
  • Compreenda e elogie as ações preventivas dos funcionários, pois, além de estarem cumprindo ordens, visam garantir a segurança do condomínio, mesmo quando estas atitudes representem algum transtorno para si ou para suas visitas;
  • Conscientize seus parentes e empregados sobre a importância da integração de todos no sistema de segurança adotado pelo condomínio;
  • Não se exponha desnecessariamente;
  • Somente desça à portaria quando o assunto lhe for pertinente;
  • Avise a portaria para que receba suas encomendas, enviando-lhes o cheque ou dinheiro para o pagamento, se for o caso;
  • Evite comentar sobre sua vida íntima, seus bens, patrimônio e ganhos na frente de estranhos ou até mesmo de funcionários;
  • Criar um gesto ou até mesmo uma "careta", comum a todos os condôminos, a ser adotado quando forem atender à porta através do olho mágico, para avisar os demais moradores que se encontra naquele momento sob ameaça de assaltantes;
  • Ao entrar ou sair do prédio, observe se há pessoas nas proximidades. Caso perceba alguma movimentação estranha, não entre ou saia, ligue imediatamente para a polícia, avise seus familiares e o porteiro;
  • Aguarde para entrar ou sair se o porteiro estiver identificando um estranho;
  • Antes de entrar na garagem, verifique se há algum veículo atrás do seu, se está em situação suspeita ou se seus ocupantes são moradores do condomínio. Ao sair, também observe se há alguma situação de suspeição;
  • Se o portão da garagem funciona através de acionamento automático, aguarde para que a porta esteja totalmente fechada antes de se dirigir para sua vaga;
  • Ao estacionar seu veículo na garagem ou na rua, nunca o deixe aberto e nem com objetos de valor à vista, ligue sempre o alarme do seu veículo;
  • Procure conhecer os hábitos de seus vizinhos e se relacionar bem com eles. 2.2.2. Com relação aos empregados domésticos:
  • Na contratação de novos funcionários entreviste um de cada vez, de preferência na portaria. Nunca os leve ao apartamento;
  • Obtenha o máximo de informações possíveis sobre o candidato e solicite atestado de antecedentes e referências pessoais de todos os funcionários a serem contratados;
  • Oriente seus funcionários para que nunca comentem sobre seus hábitos;
  • Acautele-se com funcionários que aceitam trabalhar ganhando pouco e passam imagem de muito eficientes. Observe-os atentamente, principalmente em relação à mudanças de comportamento.

Com relação à segurança do lar:
  • Evite deixar as chaves da sua residência, bem como seus objetos pessoais na portaria do condomínio, se for o caso deixe-os com um vizinho de confiança;
  • Em casos de perda das chaves, troque imediatamente as fechaduras ou cilindros;
  • Ao mandar fazer cópias das chaves presencie pessoalmente sua reprodução;
  • Evite deixar recados na portaria ou bilhetes afixados na porta da residência quando for passar um final de semana fora;
  • Em caso de viagem mais prolongada, providencie uma pessoa de sua inteira confiança para tomar conta da residência ou mesmo peça ajuda a um vizinho para olhar seu apartamento;
  • Caso resida nos dois primeiros andares do prédio, proteja as áreas de acesso com grades reforçadas;
  • Instale olho mágico de 180° nas portas que dão acesso às partes externas de sua residência;
  • Utilize nas portas trincos e trancas complementares, dando preferência a fechaduras quádruplas;
  • Atente também, para as janelas, complementando as fechaduras com trancas especiais;
  • Antes de se deitar, à noite, revise o fechamento de portas e janelas;
  • Instale alarmes com dispositivos sonoros nas principais entradas da residência;
  • Mantenha sempre em perfeito funcionamento os meios de comunicação, tais como telefones e interfones;
  • Atente para atos e condições inseguras a fim de evitar acidentes dentro de seu lar.

Parte de segurança aos funcionários.
  • Participe do sistema de segurança do condomínio;
  • Obedeça às ordens e normas relativas à segurança;
  • Preencha corretamente os relatórios existentes, quer seja de serviço ou das condições de segurança do condomínio;
  • Traga sempre informações e sugestões para a melhoria de seu serviço e das condições de segurança do condomínio;
  • Fique sempre atento para o que acontece no prédio, observando se há alteração na rotina do condomínio;
  • Não converse com estranhos, e, em hipótese alguma, forneça informações sobre o condomínio e os moradores;
  • Não se impressione com boa aparência e suposta autoridade. Observe se o traje combina com a aparência e também com o modo da pessoa falar;
  • Observe bem as pessoas, fique atento para algum volume suspeito no corpo do indivíduo, principalmente na situação de porte de arma;
  • Redobre a atenção nos horários de maior movimento, que normalmente são das 06h às 09h, das 11h às 14h e das 17h às 20h, tomando especial cuidado no período da manhã;
  • Quando houver imóvel a ser locado ou vendido, exija o aviso antecipado sobre a visita, além da presença do proprietário ou de corretor de imóvel devidamente registrado no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) e que esteja vinculado a uma corretora ou administradora credenciada;
  • Suspeite de funcionários públicos, inclusive policiais, em carros particulares, querendo entrar no prédio (exceto em situações emergenciais), sem a devida identificação. Não abra a porta sem autorização, chame o síndico e exija mandado judicial;
  • Suspeite também de pessoa se dizendo oficial de justiça, que queira forçar a entrada no condomínio sem querer apresentar identificação e nem o mandado judicial;
  • Inteire-se das diferentes artimanhas utilizadas pelos infratores da lei;
  • Sempre consulte o morador sobre a viabilidade de autorização de entrada de visitantes ao condomínio;
  • Nos horários de limpeza e recolhimento de lixo, mantenha as entradas do condomínio fechadas;
  • Não deixe crianças desacompanhadas ou que estiver em companhia de pessoas estranhas saírem do condomínio;
  • Leve todos os problemas atinentes ao serviço ao morador responsável pela área ou ao síndico.

Cuidados na portaria:
  • A portaria deverá estar sempre fechada, e localizada dentro dos limites do condomínio, não devendo avançar em área externa à grade ou muro de proteção;
  • Permaneça sempre em seu posto de trabalho, evitando deslocar-se para prestar serviços particulares a condôminos, mesmo que seja na área do condomínio;
  • Nunca abandone seu posto de trabalho para atender estranhos no portão ou através das grades, dando condições para ser imobilizado por arma de fogo;
  • Não permita que pessoas estranhas adentrem ao portão para conversar com o porteiro ou outro funcionário pela janela de sua guarita, mesmo que seja para completar a identificação ou motivo de visita;
  • Durante a noite, mantenha o interior da portaria com pouca luz. O exterior deve estar bem iluminado;
  • Tenha sempre à mão a lista de telefones úteis.
  • Se houver sistema de CFTV em seu prédio, é importante dar atenção aos monitores, porém não se distraia a ponto de prejudicar o trabalho;
  • Não assista TV na portaria durante o serviço, assim como evite uso de rádio em volume alto;
  • Domine o manejo dos equipamentos que estão sob sua responsabilidade.

Modo de Agir dos Ladrões:
  • Os infratores da lei atualmente têm utilizado os mais diversos ardis para entrar nos condomínios com a finalidade de cometerem algum tipo de delito contra seus moradores.
  • Os fatos mostram que em 90% das ocorrências de roubo em condomínios, os assaltantes entraram pela porta da frente do prédio, ou seja, de alguma forma burlaram ou violaram o sistema de segurança montado, ludibriando principalmente o porteiro de serviço.

Modus Operandi (forma de agir):
  • Saltando os muros e cercas do pátio em locais vulneráveis e fora da visibilidade do porteiro ou vigilantes;
  • Pulando os muros e cercas;
  • Como "passageiros" de veículos de entrega que entram na garagem;
  • Pelo portão de serviço travestido de prestadores de serviço da Telesp, Sabesp,
  • Comgás, Eletropaulo, eletricistas, encanadores, entregadores de pizza e encomendas, etc.;
  • Iludindo o porteiro de forma que este permita que o ladrão entre pelo portão principal ou mesmo pelo portão da garagem;
  • Passando-se por comprador de imóvel, ludibriando o porteiro, sob a alegação de ter que olhar, a fim de fazer uma avaliação;
  • Estando acompanhado de uma mulher bonita a fim de distrair a atenção do porteiro para persuadi-lo a abrir o portão;
  • Pela porta principal ou portão da garagem, acompanhando um morador que entra a pé ou dirigindo um veículo, ameaçado e subjugado pelo assaltante;
  • Tocando a buzina ou piscando os faróis do veículo defronte o portão da garagem para que o porteiro o abra inocentemente;
  • Pelo portão da garagem quando este permanece aberto durante a entrada ou saída de veículos;
  • Pelo uso de artimanha junto ao porteiro, dizendo a este que veio buscar uma TV, carro, sofá, etc., do morador, exibindo, até mesmo, bilhete e telefone do condômino para verificação;
  • Como morador do próprio condomínio (normalmente adolescente) ou mesmo como empregado;
  • Passando-se por amigo de moradores ou ainda dizendo-se vizinho a fim de acompanhar o condômino e enganar o porteiro;
  • Apresentando-se como entregador de cesta de café da manhã, flores, encomendas em geral, bem como entregador de jornais e revistas durante a noite;
  • Apresentando-se como Funcionários Públicos, querendo forçar a entrada no condomínio sem se identificar;
  • Por ação violenta de surpresa, com quadrilhas especializadas em tais delitos.
Situações que levantam suspeitas:
Verificaremos, a seguir, situações em que as pessoas podem estar em atitude suspeita e que demandam observação minuciosa por parte de todos os integrantes do condomínio:
  • Pessoas paradas estranhamente na rua, lendo jornal ou andando vagarosamente próximas ao condomínio, observando-o atentamente;
  • Indivíduos que permaneçam parados em ponto de ônibus, sem tomar nenhum deles;
  • Pessoas que demonstrem nervosismo sem motivo aparente;
  • Mendigos ou vendedores-ambulantes estranhos ao local;
  • Aparentes funcionários da Companhia Telefônica, de Água e Esgoto, de Energia Elétrica, de entrega de Gás, etc., que simulam consertos a serem executados;
  • Indivíduos fazendo aparentes consertos demorados em automóveis próximos à entrada do condomínio;
  • Pessoa que preste muita atenção ao condomínio, observando principalmente sua portaria ou garagem;
  • Pessoas que estejam de carro, motocicleta ou bicicleta, sempre com os mesmos ocupantes, que passem lentamente, por várias vezes, em frente do condomínio como se estivessem observando a rotina da portaria e da garagem. Nestes casos procure anotar os dados do veículo (placa, modelo, cor, etc.) e as características das pessoas (sexo, altura, cor, roupas, etc), transmitindo-os à polícia;
  • Indivíduos que demonstrem muito interesse pelo sistema de segurança do condomínio;
  • Pessoas andando juntas, vagarosamente, sem conversar;
  • Indivíduos com roupa de inverno (pesadas) em tempo quente;
  • Pessoas usando possíveis disfarces, tais como peruca, barba, bigode, óculos escuros em dia sem sol;
  • Técnicos não solicitados (telefone, eletricistas, gás, eletrodomésticos, serviços gerais, etc.) que insistam em entrar no condomínio ou que solicitem consertos nas residências;
  • Pessoas muito bem vestidas e extremamente simpáticas que se fazem passar por compradores de imóveis que, procurando ganhar a confiança dos porteiros, conseguem entrar nas dependências do condomínio, a fim de consumar seus delitos;
  • Vendedores, pedintes, pregadores religiosos que insistam em entrar no condomínio ou que solicitem a presença de moradores à portaria;
  • Pessoas que, durante a conversa, escondam as mãos em bolsos de blusas ou de jaquetas, onde possam estar escondendo armas.
  • Indivíduos que observam um veículo (quando estacionado) e/ou pareçam aguardar a chegada do dono para apanhá-lo;
  • Motoristas ou motoqueiros que se aproximem exageradamente de moradores quando estiverem adentrando ao condomínio;
  • Pessoas em grupo ou mesmo isoladas que procurem aproximação física de moradores nas proximidades do condomínio;
  • Veículos estacionados nas imediações do condomínio por muito tempo, com pessoas em seu interior, principalmente à noite;
  • Veículo estacionado nas proximidades do condomínio por mais de 24 horas, parecendo haver sido abandonado no local;
  • Telefonemas de pessoas estranhas que solicitam informações confidenciais e pessoais de moradores ou de funcionários do condomínio;
  • Desaparecimento de correspondências da caixa do correio do condomínio;
  • Pessoas que resistam quando lhes é solicitado algum documento de identidade na portaria do condomínio;
  • Indivíduos muito bem trajados, que se fazem passar por pessoas de classe social elevada, intitulando-se doutores ou mesmo autoridades, forçando sua entrada no condomínio, intimidando os porteiros;
  • Pessoas na rua simulando acidentes e que pedem socorro, solicitando, inclusive, para entrar no condomínio, a fim de ligar para os órgãos de emergência, o que pode ser uma armadilha ou cilada;
  • Entregadores de pizzas, flores, refeições, etc., e mesmo de encomendas.

Fonte: www.secovi.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário